Resenha: Cotoco

spud the movie Olá, pessoal! Feliz ano novo! \o/
Que possamos ler mais em 2015 e ser muito felizes! 😀
Hoje vou falar sobre Cotoco, o primeiro livro lido do ano.
Eu tenho esse livro desde 2013 e confesso que só o comprei porque estava baratinho na Bienal.
O livro me deu uma ideia errada porque na capa diz “O diário perversamente engraçado de um garoto de 13 anos”. Então eu achei que o Cotoco fosse um menino super rebelde, que vivia pregando peças nos colegas e professores mas eu não podia estar mais errada. Ele até que é um menino bonzinho e “normal”, ainda mais se o compararmos com a família completamente louca que ele tem (sério, a família dele é pirada, principalmente o pai). Mas até que, no fim das contas, eu gostei! Levou 4 estrelas no Skoob, hehe.
Bem, Cotoco vai contar a história do John Milton, um menino de 13 anos que mora na África do Sul e ganha uma bolsa de estudos para um colégio interno (o livro já me ganhou aí, amo colégios internos, haha, ainda mais os que me lembram Hogwarts *-*). E nesse colégio ele vai viver muita coisa! Lá ele vai dividir o quarto com outros 7 meninos e juntos eles receberão o nome de Os Oito Loucos. E, realmente, parece que ninguém é normal. Inclusive o Cotoco (apelido que ganha na escola) as vezes relata achar que está sempre rodeado por loucos, o que o leva a questionar sua própria sanidade. É bem divertido ver como ele vai, aos poucos, se adaptando ao colégio e fazendo amizades. Ele sofre bastante por ser calouro (e o menor de todos), é zoado, sofre bullying, mas ainda assim, ele consegue cativar muitas pessoas, de colegas aos professores. Ele é inteligente, talentoso, bom em alguns esportes, embora às vezes faça algumas besteiras. Os Oito Loucos vão passar por muita coisa, mas sempre juntos e aos poucos vão formando uma nova família. Uma das coisas mais legais que eu achei foi a adição de alguns fatos reais à história. Por exemplo, em 1990, que é quando se passa a história, muita coisa estava acontecendo na África do Sul. Uma dessas coisas foi a liberação de Nelson Mandela da prisão, após 26 anos. Achei interessante ver a visão dele e de outras pessoas a respeito disso, do Apartheid, ver o mundo pelos olhos de um garoto de 13 anos, que às vezes se apresentava bem adolescente mesmo, só pensando em garotas e no que fazer com elas e as vezes parecia uma criança que está prestes a chorar por sentir saudade de casa. Durante algumas vezes, o Cotoco narrava algum evento que nós, leitores, já conseguíamos suspeitar de que algo estava acontecendo ou aconteceria em breve, mas que ele mesmo não tinha essa malícia ainda. Também achei legal ver como ele muda e amadurece durante a história e no final acaba percebendo que tudo que pra gente é importante, um dia vai deixar de ser e que a gente tem que aproveitar a vida enquanto pode. O livro é engraçado (não hilário!), é fofo, tem mistério, fantasma, coisa triste. Tem um pouquinho de tudo. Até fiquei curiosa pra ler a sequência, mas não foi lançada por aqui. Será que algum dia vai? Aos interessados, em 2010 fizeram um filme do livro e é bem legal, embora muita coisa tenha ficado de fora. Bem, é isso, se você tiver procurando uma leitura leve e divertida: Cotoco! 🙂

Anúncios